David de Oliveira Lemes, Ph.D.

Pensar no game fazer

Pois é pessoal… começo agora a fase de escrever minha dissertação de mestrado. Para quem não conhece o projeto, pode dar uma lida neste post aqui, pois ele é a transcrição literal do meu projeto de pesquisa. Contudo, como este processo é mutante, quero usar este blog para fazer um diário da dissertação, onde pretendo compartilhar um pouco das minhas dúvidas e angústias. Espero que leiam.

Neste exato momento já tenho uma idéia do índice, ou seja, a estrutura do projeto. Estou submetendo este índice a algumas pessoas afim de escutar sugestões. Porém, antes que as sugestões apareçam e a estrutura mude, deixo aqui registrado como tudo está até este exato momento.

GAME PENSAR & GAME FAZER
Metodologia conceitual para criação, planejamento e desenvolvimento de jogos digitais independentes
(Fundamentos Metodológicos da Concepção e Produção de Jogos Digitais Open Source)

Introdução (a última coisa a fazer)

1.0 – Let´s play
1.1 – Caracteristicas de um jogo digital

2.0 – O game e a cena independente
2.1 – Conceitos fundamentais do game indepedente
2.2 – O indiegame e a possibilidade do único autor
2.3 – De volta às origens: o time de um homem só e o método Atari
2.4 – Cinema, música, quadrinhos e games independentes
2.5 – Caminhos possíveis de distribuição via internet
2.6 – Analogia com produção de software e cinematográfica – um olhar independente

3.0 – Criação de jogos digitais
3.1 – Uma boa idéia é o começo de um bom game
3.2 – Os primeiros esboços: rascunhos e organização de idéias
3.3 – Definição de argumento: o que um jogo tem que contar
3.4 – Modelos de personagens
3.5 – Mecânica e tipo possíveis de games
3.6 – Narrativa e criação de enredo digital
3.7 – Metodologia de criação

4.0 – Planejamento
4.1 – Design Bible: conceitos e fundamentos
4.2 – Game Design e Gerenciamento de projetos
4.3 – Criação e design de personagens
4.4 – O design de níveis: progressão e dificuldades
4.5 – Roteiro aplicado a games – formanto a narrativa

5.0 – Desenvolvimento
5.1 – Programação de definição da linguagem
5.2 – Design de interfaces para games
5.3 – Modelagem 3D: personagens, terrenos, objetos e arquitetura
5.4 – Produção de imagens 2D: texturas e similares
5.5 – Produção e ambientação sonora
5.6 – Motor de jogo: engines e suas funcionalidades
5,8 – Criação de mundos digitais

6.0 – Conclusão
6.1 – Diversidade de plataformas (web, consoles, palm, celular e tv digital)
6.2 – Alternativas de distribuição para games independentes
6.3 – Iniciativas do mercado em evolução no Brasil. (Entrevistas com desenvolvedores nacionais)

Anexos / Papers
1 – Ferramentas open source para desenvolvimento de games

3 thoughts on “Pensar no game fazer

  1. Este comentário é meu mesmo: enviei este índice para algumas pessoas e já obtive uma boa resposta.

    Como este processo é praticamente vivo e mutante, este índice mudará. Em breve publico aqui nas alterações.

Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: